Alunos de 42 países estão a aprender português no curso de verão do ICLP

Aprender português  é o objetivo dos 184 alunos que estão a frequentar a 87ª edição do Curso de Verão, do ICLP. Entre os estudantes, há 42 nacionalidades representadas: do México ao Paquistão, passando pela China, EUA, Perú, Japão, Finlândia, Canadá, Vietname ou Sudão.

A aposta ganha no modelo presencial

Anabela Gonçalves, para quem este é o primeiro curso de verão enquanto diretora do ICLP, vê “com muita satisfação” a procura para o curso de julho e adianta que há já “um número de inscritos bastante significativo para agosto e setembro”. “Estamos a aproximar-nos dos números pré-pandemia, o que nos deixa muito satisfeitos. Esta procura vem mostrar-nos que, de facto, a aposta em cursos presenciais continua a ser uma aposta ganha”, defende a diretora.

O modelo de aulas presenciais permite que os estudantes estejam imersos na cultura portuguesa, fora da sala de aula. Assim, os alunos têm oportunidade de observar e viver temas que fazem parte do programa de cada curso: história, arte, cultura, economia, política, entre outros.

A combinação de programas escrupulosamente delineados com um modelo pedagógico atento às necessidades dos estudantes e que oferece diversas atividades extracurriculares é a chave para o sucesso destes cursos. Como resultado da conjugação destes 3 fatores, consegue-se potenciar e acelerar a aprendizagem da língua portuguesa.

Aprender português fora de portas no curso de verão

Os alunos têm ainda a possibilidade de participar, extracurricularmente, em quatro atividades culturais em cada mês, com lotação limitada e mediante inscrição prévia. No mês de julho, haverá, por exemplo, uma visita guiada ao Jardim Botânico do Museu Nacional de História Natural e Ciência da ULisboa e uma descida ao subsolo do Núcleo Arqueológico da Rua dos Correeiros.

As visitas guiadas a estes e outros equipamentos culturais da cidade de Lisboa têm como objetivo, em primeiro lugar, dar a conhecer o património cultural da capital. Em segundo lugar, pretende-se incentivar a prática de expressão e compreensão oral da língua portuguesa num contexto informal e em situações reais.

São também situações reais, quase sempre profissionais ou familiares, que estão na origem da decisão de frequentar estes cursos. De acordo com a diretora do ICLP, as motivações que trazem estudantes de todo o mundo para aprender português no curso de verão do ICLP são variadas. “Para alguns é aperfeiçoamento de uma língua que já estudaram ou estão a estudar; para outros é iniciação a uma língua pela qual se interessam por motivos muito diversificados”.

Além dos estudantes que vêm ter ao ICLP individualmente, há também protocolos com universidades estrangeiras que, anualmente, enviam grupos organizados e agilizam o processo no momento de escolher onde estudar língua portuguesa.

A 87ª edição do Curso de Verão começou no dia 4 com o curso de julho. Estão ainda programados outros dois cursos, em agosto e setembro, com uma duração de quatro semanas cada um. Estes cursos têm um total de 80h, que são lecionadas nas manhãs de 2ª a 6ª. As aulas são sempre nas instalações da Faculdade de Letras da ULisboa e as inscrições continuam abertas para estes dois últimos meses.

Partilhar esta notícia